Arquivo da categoria: Biografia

Crydamoure

Crydamoure  é um selo de french house criado em 1997 pelo Guy-Manuel de Homem-Christo e pelo Eric Chedeville (ambos também são responsáveis pelo Le Knight Club). Esse nome surgiu de uma variação da frase em francês cri d’amour (grito de amor).

O primeiro single a ser lançado foi o “Holiday on Ice”, do Le Knight Club.

Com o Crydamoure, o Guy-man pôde experimentar sons diferentes do que estava sendo produzido pelo Daft Punk, além de poder divulgar novos produtores, como Romain Seo (Man-primas) e Paul Homem-Christo ou Play Paul, seu irmão.





Discografia:

  • Waves
  • Waves II

Singles

Vinyl releases

  • CRYDA 001 Le Knight Club Santa Claus / Holiday On Ice (12″)
  • CRYDA 001 Le Knight Club Santa Claus / Holiday On Ice (12″, Promo)
  • CRYDA 002 Paul Johnson / Le Knight Club White Winds / Santa Claus (Remix) (12″)
  • CRYDA 003 Le Knight Club Troobadoor / Mirage (12″)
  • CRYDA 004 Le Knight Club vs. DJ Sneak Intergalactik Disko (12″)
  • CRYDA 005 Le Knight Club Boogie Shell / Coco Girlz / Mosquito / Coral Twist (12″)
  • CRYDA 006 Buffalo Bunch, The T.I.T.T.S. / Music Box (12″)
  • CRYDA 007 Le Knight Club Hysteria (12″)
  • CRYDA 007 Le Knight Club Hysteria (12″, Promo, S/Sided, W/Lbl)
  • CRYDA 008 Raw Man Lovers (12″)
  • CRYDA 009 Deelat United Tastes Of Deelat (12″)
  • CRYDA 010 Play Paul Spaced Out / Holy Ghostz (12″)
  • CRYDA 011 Eternals, The Wrath Of Zeus (12″)
  • CRYDA 012 Sedat The Turkish Avenger (12″)
  • CRYDA 012 Sedat The Turkish Avenger (12″, W/Lbl, Promo)
  • CRYDA 013 Le Knight Club Gator / Chérie D’Amoure (12″)
  • CRYDA 013 Le Knight Club Gator / Chérie D’Amoure (12″, W/Lbl)
  • CRYDA 014 Archigram Mad Joe (12″)
  • CRYDA 015 Le Knight Club Soul Bells / Palm Beat / Tropicall (12″)
  • CRYDA 016 Le Knight Club Nymphae Song / Rhumba (12″)
  • CRYDA 017 Archigram Carnaval (12″)
  • CRYDA 018 Crydajam If You Give Me The Love I Want / Playground / Loaded (12″)
  • CRYDA 019 Archigram Doggystyle (12″, S/Sided)


CD releases

  • CRYDA CD010 Play Paul Spaced Out (CD, Maxi)
  • CRYDA CD011 Eternals, The Wrath Of Zeus (CD, Maxi)
  • CRYDA CD012 Sedat The Turkish Avenger (CD, Maxi)

Stardust

O Stardust foi um projeto pararelo de Thomas Bangalter e contava com a participação de Alan Braxe e de Benjamin Diamond no vocal. No ano de 1998 (ano de início e término do projeto), eles produziram Music sounds better with you, sampleada de Fate, do Chaka Kan.
Durante um live set do trio no Rex Club, em Paris, enquanto Bangalter e Braxe criavam o instrumental, Diamond instintivamente cantou o título da música por cima. No dia seguinte eles levaram a track pro estúdio, adicionando a sample do Chaka Khan. A música atingiu a 2ª posição na cabela de singles do reino unido (UK) e ficou duas semanas em 1º na US Billboard de Hot Dance Music/Club Play em agosto de 98. O projeto acabou. Diamond e Braxe retomaram suas carreiras solo e Bangalter continua com o Daft Punk.

O vídeo de “Music Sounds Better with you” foi dirigido por Michel Gondry, que também dirigiu o clipe de Around the world e o filme “Brilho eterno de uma mente sem lembranças”.

Happy Birthday, Guy-man!

08-02-1974
Guy-Manuel de Homem-Christo (nascido Guillaume Emmanuel Paul de Homem-Christo em 8 de Fevereiro de 1974) é um dos membros fundadores do duo de música eletrônica francês Daft Punk, junto com Thomas Bangalter. Ele também produziu vários trabalhos de sua gravadora Crydamoure com seu sócio Éric Chedeville. Ele e Chedeville formaram o duo musical Le Knight Club. Além da produção de música, de Homem-Christo também trabalhou como diretor de filme.
Guy de Homem-Christo declarou numa entrevista de vídeo que lhe foi dada uma guitarra de brinquedo e teclado com cerca de 7 anos de idade. Uma guitarra elétrica foi oferecida eventualmente aos 14. Ele também manifestou que ele normalmente usa uma guitarra ao compor música.
Carreira
Guy-Manuel de Homem-Christo encontrou Thomas Bangalter quando estavam juntos na escola em 1987. Foi lá que eles descobriram seu fascínio mútuo de filmes e música dos anos 60 e 70, “coisas muito básicas da cultura adolescente, de Easy Rider para the Velvet Underground.” Os dois e Laurent Brancowitz eventualmente juntaram para formar um trio de rock indie chamado Darlin ‘, no qual Homem-Christo tocava guitarra. Bangalter sentiu que “era talvez ainda mais uma coisa adolescente nesse momento. É, como se sabe, todo mundo quer estar numa banda. ” Uma reportagem negativa definiu a atuação como “um bando de daft punk”, o qual inspirou Bangalter e Homem-Christo um novo nome. Os dois logo ficaram interessados em música eletrônica depois de passar por um clube em 1992. De Homem-Cristo é creditado por projetar o logotipo Daft Punk nas notas do forro de Homework.
Sobre o processo criativo do Daft Punk e trabalhando com Bangalter, de Homem-Christo comentou que “ele é muito mais o cara tech que eu. Fizemos tudo juntos. Mas tenho maior distância.” Ele acrescentou, “Eu sou mais crítico em tudo que fazemos. Somos duas metades de uma combinação sólida. Há equilíbrio lá — exaustividade entre nós, sim”.
Guy Homem-Christo também é co-fundador do grupo Le Knight Club, juntamente com Éric Chedeville da Pumpking Records. Eles são os fundadores do selo Crydamoure, nomeado após uma variação da expressão francesa “d’amour cri” ou “grito de amor” em português. Crydamoure também publicou trabalho do irmão de Homem-Christo, Paul de Homem-Christo, sob o nome de Play Paul. Em relação ao Crydamoure, declarou:
“Eu e Thomas temos os mesmos gostos na música. Quando eu faço registros para Crydamoure é um estilo diferente que aquilo que podem finalizar como música de Daft Punk. Eu sei o que o Thomas gosta, e ele sabe o que eu gosto. Crydamoure não é então produção orientada, mesmo se ele não estiver muito longe do Daft Punk. O material de Daft Punk é ligeiramente diferente e mais orquestrado. Eu posso estar trabalhando em uma amostra para Crydamoure e talvez ninguém pode ouvir a diferença, mas sabemos. É muito precisa.”
Ele produziu o álbum de 2008 de Sébastien Tellier intitulado Sexuality.
Vida pessoal
Ambos, ele e Thomas Bangalter, manifestaram que têm muito pouco ou nenhum interesse em ser celebridades. Embora o duo raramente conceda entrevistas, de Homem-Cristo é citado como sendo o menos falante e mais introvertido. No que diz respeito a trabalhar e colaborar com outros artistas, ele aparenta como uma questão de temporização e criatividade, em vez de fama e oportunidade. Uma vez declarou numa entrevista:
“Bem isso depende do que queremos fazer no momento. Isso depende. Eu não sei. Sim, exatamente. Existem todas estas considerações que você fala. Mas sim, apenas depende do momento que será solicitado. Se você sente e se sente algo criativamente interessante, então é possível. Por tudo o que somos solicitados a fazer, se temos uma resposta criativa e achamos que poderia trazer algo para um projeto,então podemos fazê-lo. Mas se nós não temos quaisquer ideias ou não pensar que pode empurrar o envelope, criando com ninguém… Bem, se você tirar Sébastien Tellier por exemplo é um das poucas colaborações onde tive a ideia de que eu poderia fazer algo e trazer algo para ela. Mas é tudo sobre o momento e a situação. Quando sentimos certo para nós, quando pensamos que podemos fazê-lo, e quando temos o tempo. Há tantos fatores.”

Happy Birthday

03 – 01 – 1975
Thomas Bangalter começou a tocar piano com a idade de seis anos. Bangalter afirmou em entrevista a um vídeo que seus pais eram rigorosos em manter a sua prática, para a qual ele agradece-los mais tarde. Seu pai, Daniel Vangarde foi um famoso produtor de música e compositor para artistas, tais como a Gibson Brothers, Ottawan e Sheila B. Devotion. Conforme expresso por Bangalter: “Eu nunca tive qualquer intenção de fazer o que meu pai estava fazendo.”.
Bangalter reuniu Guy-Manuel de Homem-Christo enquanto frequentavam a escola Lycée Carnot, em 1987. Foi aí que eles descobriram seu fascínio mútuo de filmes e música dos anos 1960 e 70, “coisas básicas de culto adolescente, desde Easy Rider a Velvet Underground.” Eles e Laurent Brancowitz acabaram formando um trio de indie rock chamado Darlin’, no qual Bangalter tocava guitarra e baixo. Bangalter considerou que “Foi talvez ainda mais uma coisa adolescente nessa altura. É como, você sabe, todo mundo quer estar em uma banda.”. Uma análise negativa refere-se ao ato como “um bando de punks bobos (Daft Punk em inglês)”, que inspiraram o novo nome para Bangalter e Homem-Christo.
Pouco antes de atingir a idade de 18 anos, a Daft Punk cresceu interessados em música eletrônica, o que levou Brancowitz a deixar o grupo para a prossecução de esforços com os colegas parisienses da banda Phoenix. Em 1993, Bangalter apresentou uma demonstração de material para Stuart Macmillan do Slam que levou ao seu primeiro single “The New Wave”. Daniel Vangarde deu conselhos valiosos para a dulpa. “Ele nos ajudou a apresentar qual era a situação das gravadoras e de como elas funcionam. Sabendo isso, nós fizemos algumas opções a fim de conseguir aquilo que queríamos”
Daniel Vangarde foi agradecido pelos seus esforços nas notas de reconhecimentos de Homework. O título do álbum é atribuído em parte ao facto de que Homework foi gravado no quarto de Bangalter. Como ele comentou: “Eu tinha que passar a cama em outra sala para fazer espaço para o material.” Nos anos seguintes do lançamento de 1997, Bangalter centrava-se na sua própria gravadora, Roulé ( “rolar”, em francês). A gravadora lançava singles de Romanthony, Roy Davis Jr., do próprio Bangalter, entre outros. Bangalter colaborou com Alan Braxe e Benjamin Diamond e lançou em 1998 o hit “Music Sounds Better with You”. Assim como para o Homework, o single foi gravado no estúdio da casa de Bangalter.
Em torno da mesma época de “Music Sounds Better with You”, Bangalter co-produziu o segundo single de Bob Sinclar “Gym Tonic”. A canção utilizava amostras de um video de exercicios de Jane Fonda. Fonda posteriormente recusou permissão para o uso da amostra. Uma banda chamada Spacedust lançou um single chamado “Gym and Tonic”, que recria elementos de “Gym Tonic” e “Music Sounds Better with You”. A música tornou-se número um no Reino Unido.
Durante 1998, Bangalter e Homem-Christo colaboraram com Romanthony no que se tornaria a primeira das sessões de Discovery. Uma das faixas produzidas, “One More Time” se tornou o mais bem sucedido single da Daft Punk em 2000. Bangalter também realizou em um sintetizador Yamaha CS-60 a faixa “Embuscade” no álbum de estréia de Phoenix, United, que foi lançado no mesmo ano. Ele também fez equipe com DJ Falcon sob a denominação Together para lançar o seu single com o mesmo nome em 2000. Em 2002, Bangalter foi pai de um filho, com a atriz Élodie Bouchez, chamado Tara-Jay.
Together lançou o single “So Much Love to Give”, em 2003. A faixa “Call on Me” de Eric Prydz foi inicialmente pensada para ser um acompanhamento de Together devido à semelhança entre as duas canções e do uso da faixa por DJ Falcon em seus espetáculos.
Entre 13 de setembro e 9 de novembro de 2004, Bangalter e Homem-Christo produziram e misturaram pistas para o seu álbum Human After All. Pouco depois, mudou-se para a sua actual casa, em Beverly Hills, Califórnia. A mudança é atribuível à carreira de Bouchez em Hollywood e do interesse em cinema de Bangalter. Em 2 de junho de 2008 Bouchez deu à luz o seu segundo filho com Bangalter, Roxan.

Biografia Daft Punk (desciclopédia)

Muitas pessoas consultam o Wikipédia para consultar a biografia do Daft Punk. A postada aqui no blog se trata de uma tradução gentilmente feita pelo Henrique do wikipédia em inglês. No site Desciclopédia (sátira do wiki), a bio feita para os dafts é muito engraçada.

Daft Punk é uma banda composta por uma dupla de robôs franceses que atingiu a fama com suas músicas eletrônicas sem sentido e com o Youtube.

História

Segundo a dupla, eles são robôs construídos em uma indústria secreta localizada na França, eles com sua I.A. (Inteligência Artificial) fugiram das mãos dos seus donos e saíram pelo mundo fazendo sucesso com suas músicas eletrônicas sem sentido.
Alguns dizem que, como a maioria dos robôs, esta dupla foi criada na verdade no Japão e fugiu para a França para não serem pegos pelos japoneses exploradores que usam robôs para programarem por um baixo custo.
Nas duas versões da história temos a certeza que na verdade eles são uma dupla de robôs fugitivos. A sua música Harder, Better, Faster, Stronger representa o que eles e milhares de robôs são obrigados a fazer enquanto presos em suas industrias.

A dupla

A dupla, que se dizem robôs franceses, falam que são diferentes entre si, apesar de terem nascido do mesmo computador. Um usa um capacete dourado e o outro usa um capacete prata, eles afirmam que seus gostos são diferentes e isso amplia suas capacidades de um completar ao outro, apesar disso, os dois também afirmam que suas influências vem principalmente de C3PO e R2D2 do filme Star Wars, eles não gostam muito do Exterminador do Futuro pois, segundo eles, este robô estimula de mais a violência e traz uma imagem negativa aos robôs, que já sofrem bastante preconceito.
O sucesso foi tão grande que atualmente a dupla de robôs está milhinária e não veem mais a necessidade de trabalhar “Work it”, estão em apartamentos luxuosos em frente à praia, com óleos a vontade e com as mais belas robôs fêmeas para lhes fazerem compania.

Músicas

A banda conta sempre com músicas eletrônicas de robôs para robôs quem gosta de robôs. As letras das músicas são sempre bastante complexas as quais possuem diversas estrofes relacionando variados temas polêmicos do dia-a-dia.
A seguir, um dos exemplos mais significativos, a letra da música Around the World:

* around the world around the world around the world around the world around the world around the world around the world around the world around the world around the world around the world around the world around the world around the world around the world around the world around the world around the world around the world around the world around the world around the world around the world around the world around the world around the world around the world around the world around the world around the world around the world around the world around the world around the world around the world around the world around the world around the world around the world around the world around the world around the world around the world around the world around the world around the world around the world around the world around the world [x5]

Outro exemplo, agora com Television Rules the Nation:

* Television.. Rules the nation.. Television.. Rules the nation.. Television.. Rules the nation.. Television.. Rules the nation.. Television.. Rules the nation.. Television.. Rules the nation.. Television.. Rules the nation.. Television.. Rules the nation.. Television.. Rules the nation.. Television.. Rules the nation..Television.. Rules the nation.. Television.. Rules the nation.. Television.. Rules the nation.. Television.. Rules the nation.. Television.. Rules the nation..Television.. Rules the nation.. Television.. Rules the nation.. Television.. Rules the nation.. Television.. Rules the nation.. Television.. Rules the nation..Television.. Rules the nation.. Television.. Rules the nation.. Television.. Rules the nation.. Television.. Rules the nation.. Television.. Rules the nation..Television.. Rules the nation.. Television.. Rules the nation.. Television.. Rules the nation.. Television.. Rules the nation.. Television.. Rules the nation..Television.. Rules the nation.. Television.. Rules the nation.. Television.. Rules the nation.. Television.. Rules the nation.. Television.. Rules the nation..Television.. Rules the nation.. Television.. Rules the nation.. Television.. Rules the nation.. Television.. Rules the nation.. Television.. Rules the nation..Television.. Rules the nation.. Television.. Rules the nation.. Television.. Rules the nation.. Television.. Rules the nation.. Television.. Rules the nation..Television.. Rules the nation.. Television.. Rules the nation.. Television.. Rules the nation.. Television.. Rules the nation.. Television.. Rules the nation..Television.. Rules the nation.. Television.. Rules the nation.. Television.. Rules the nation.. [x5]

BIOGRAFIA

OS PRIMEIROS ANOS (1987-1993)

Thomas Bangalter e Guy-Manuel de Homem-Christo se conheceram em 1987 do pátio da Lycée Carnot, uma escola secundária em Paris. Os dois tornaram-se bons amigos e tempo depois gravaram alguns demo tracks com outros da escola. Isto conduziu eventualmente à formação do grupo chamado Darlin’, com Laurent Brancowitz, em 1992.

Bangalter e de Homem-Christo tocavam baixo e guitarra, respetivamente, enquanto Brancowitz era responsável pela bateria. O trio de rock baseado no estilo do The Beach Boys se nomeu de Darlin’ após uma canção de mesmo nome, lançada por esta banda, a qual fizeram cover por um tempo junto de uma composição original. A Stereolab liberou ambas as trilhas no multi-artístico Duophonic Records EP, e enviou a banda parar aberturas de shows na Inglaterra. Bangalter disse que “O rock que nós fizemos era uma coisa regular, é o que penso. Foi algo breve, talvez seis meses, quatro canções e ‘dois flashs’. Foi isso.”
Um artigo negativo da revista Melody Maker considerou a dupla como uma porção de punks tolos (em inglês: a bunch of daft punk). Em vez de ignorar a má crítica, Bangalter e de Homem-Christo a adotaram como o novo nome da dupla. E disseram como última nota que “nós nos esforçamos por muito tempo para encontrar o nome Darlin’. Já este foi rápido.”
Darlin’ logo foi desfeita, deixando Brancowitz livre para seguir com Phoenix, uma outra banda.
Bangalter e de Homem-Christo deram forma ao Daft Punk, experimentando batidas eletrônicas e novos equipamentos digitais.

ERA HOMEWORK (1993-1999)

Em 1993, o Daft Punk participou de uma rave na EuroDisney, onde encontraram Stuart Macmillan, do Slam, co-fundador da marca Soma Quality Recordings. A fita demo dada a Macmillan naquela rave serviu de base para o lançamento do primeiro single da dupla, The New Wave, uma edição limitada, em 1994. O single também continha o mix final de The New Wave, chamada Alive.

Daft Punk retornou ao estúdio novamente em 1995, para gravar Da Funk. Este se tornou o seu primeiro single bem sucedido comercialmente, no mesmo ano. Após o sucesso de Da Funk, o Daft Punk começou a buscar um produtor. Não tiveram qualquer problema na sua busca, tendo por escolha Pedro Winter.
A dupla fechou contrato com a Virgin Records em setembro de 1996, e fez uma troca através do qual licenciaram suas músicas à tal marca através da sua companhia, Daft Trax.
Da Funk e Alive foram acrescentados mais tarde ao álbum de estréia, Homework, em 1997. O álbum foi considerado como uma síntese inovativa do techno, do house, do acid house e de estilos eletronicos, e é reconhecido como um dos álbuns mais influentes da dance music dos anos noventa. Da Funk também foi incluído como trilha do filme The Saint.
Foi durante esse período de mudança na dance music que o Daft Punk se tornou extremamente bem sucedido e conhecido. A dupla combinou os estilos de música acima citados a outros elementos que levavam as multidões ao delírio. O single mais bem sucedido de Homework foi Around The World, que é conhecido pela repetição do pequeno título da música.
Daft Punk também produziu uma série de vídeo-clipes para Homework, dirigidos por Spike Jonze, Michel Gondry, Roman Coppola e Seb Janiak. A coleção dos vídeos foi lançada em 1999, intitulada de D.A.F.T. – A Story about Dogs, Androids, Firemen and Tomatoes (Uma História sobre Cães, Andróides, Bombeiros e Tomates).
As habilidades do Daft Punk em produzir efeitos para fazer sons contagiantes, ‘ardkores acelerados e “vocais hélio-sibilantes” levou à criação do estilo speedy garage.
Uma mistura de rave, house, jungle e os cantos do ragga foram combinados com um estilo novo de batidas sincronizadas e de sons mais elaborados da bateria mais moderna. Essa cobinação levou o Daft Punk ao grande sucesso na cena club e ajudou a fazer de seus sons uma tendência.

ERA DISCOVERY (1999-2004)

Pelo ano de 1999 a dupla estava indo bem nas gravações para seu segundo álbum, que havia começado no ano anterior. Discovery, lançado 2001, se tornou um álbum inigualável, sendo orientado pelo estilo synthpop. Esse álbum aguçou ainda mais o interesse que os fãs obtiveram com o álbum anterior. O grupo atestou que o álbum foi criado com a intenção de reconectar uma atitude mais divertida, de mente aberta, associada com a fase de descobertas da infância. Isso esclarece o grande uso dos samples dos anos 70 e 80 no disco.

Alcançou o 2° lugar nas paradas do Reino Unido, e seu single One More Time foi o principal hit do meio club, criando uma geração de novos fãs, mais familiarizados com esse segundo disco do Daft Punk. Foi dito que One More Time continha um sample de More Spell on You, de Eddie Johns, mas isso foi desmentido nos créditos internos de Discovery; Bangalter negou ter usado qualquer sample de Eddie Johns em sua canção.
Os singles Digital Love e Harder, Better, Faster, Stronger também foram muito aclamados no Reino Unido e Estados Unidos no meio dance, e Face to Face ficou em 1° lugar na lista de vendas club dos Estados Unidos; apesar de ser uma edição limitada.
Uma gravação de 45 minutos, feita durante a Daftendirektour em Birmingahm, no Reino Unido em 1997, também foi lançada em 2001 intitulada de Alive 1997.
2003 começou com o lançamento do longa animado Interstella 5555: The 5tory of the 5ecret 5tar 5ystem (Interstella 5555: A História do Sistema Estelar Secreto). Daft Punk produziu o longa sob a supervisão de Leiji Matsumoto, que disseram ser seu herói de infância.
Também foi lançado o álbum Daft Club, para promover o filme. O disco reunia uma coleção de prévios remixes feitos, que também estavam disponíveis online através de um serviço-filiado de mesmo nome.

ERA HUMAN AFTER ALL (2004-presente)

Com início em 13 de Setembro e término em 9 de Novembro de 2004, O Daft Punk se dedicou à criação de novo material. A dupla lançou o disco Human After All em março de 2005. Os reviews foram mixados, na maior parte de estilo repetitivo e corrido. Os singles escolhidos deste álbum foram Robot Rock, Technologic, Human After All e The Prime Time of Your Life.

A primeira declaração oficial do Daft Punk a respeito do álbum foi que “nós acreditamos que o ser humano afinal de contas fala por si mesmo” (we believe that Human After All speaks for itself).
Uma antologia CD/DVD do Daft Punk intitulada de Musique Vol. 1 1993-2005 foi lançada em 4 de Abril de 2006. Ela contém novos vídeo-clipes para The Prime Time of Your Life e Robot Rock (Maximum Overdrive). A dupla também lançou um disco remix de Human After All, chamado Human After All: Remixes, uma edição imitada incluindo dois kubriks da dupla como robôs.

Em 21 de Maio de 2006, Daft Punk lançou seu primeiro filme dirigido por eles mesmos, chamado Daft Punk’s Electroma, no Cannes Film Festival. O filme não inclui apenas suas próprias músicas, o que é uma novidade, considerando os DVDs lançados anteriormente (D.A.F.T. para Homerwork e Interstella para Discovery).O filme começou a ser mostrado nos cinemas de Paris em 24 de Março de 2007. Os comentários desde então têm sido positivos.
Daft Punk lançou seu segundo álbum ao vivo, chamado de Alive 2007, em 19 de Novembro de 2007. Ele contém a performance da dupla em Paris, de sua turnê Alive 2007. O álbum contém um encarte de 50 páginas, com fotos tiradas durante a turnê. A versão ao vivo de Harder, Better, Faster, Stronger do Alive 2007 foi lançado como single, e também um vídeo clipe dirigido por Olivier Gondry. O sucesso, é claro, foi um estouro.
O conteúdo aqui escrito é uma tradução da biografia em inglês, na wikipédia.
Pequenas palavras e frases foram cortadas,
pois não consegui encontrar o equivalente a elas em português.
Henrique Monteiro